segunda-feira, 5 de setembro de 2011

O golpe militar de 1964

31 de março de 1964. Praticamente um "Dia D" para o Brasil. Nesse dia, o presidente da República Federativa do Brasil, João Goulart, era deposto pelos militares, que daí em diante assumiriam o poder. Porém, esse fato não foi isolado, tendo uma série de fatores responsáveis para tanto. Vamos a eles:

João Goulart, presidente do Brasil
 de 1961 a 1964
1º) Crise pós-Juscelino: Após o término do mandato de Juscelino Kubitschek, em 1960, foi eleito Jânio Quadros para um mandato de 4 anos. Porém, Jânio renunciou em apenas 7 meses de governo (ficou até 25/08/1961), desencadeando uma situação inusitada no Brasil. Seu vice, João Goulart, foi impedido de tomar posse pelos militares e pelo Congresso Nacional, tendo como motivo sua possível aproximação com o comunismo. O presidente da Câmara, Ranieri Mazzilli, tomou posse. A solução para a crise foi que Jango, como era conhecido o presidente, aceitasse o regime parlamentarista, onde o chefe de Estado seria o presidente da República, e o chefe de governo o primeiro-ministro. O regime parlamentarista ficou até 1963, sendo rechaçado por um plebiscito pela população.

2º) Medidas do governo João Goulart: em 1963, o presidente João Goulart iniciou uma ampla reforma no Brasil, conhecida como Reformas de Base. Tinha "base" no nome pois abrangia os setores básicos da população, como educação, econômica, política e rural. Essas reformas desagradaram alguns setores mais conservadores da sociedade, tais como os militares e algumas alas da Igreja Católica, como a TFP (Tradição, Família e Propriedade). Mas quais medidas eram essas?
     * Reforma agrária: desapropriação de terras improdutivas com mais de 600 hectares, que seriam dadas pelo governo à população;
     * Reforma urbana: pessoas com mais de uma casa teriam suas casas excedentes tomadas pelo Estado, que as dariam ou venderiam a preços baixos à população;
     * Reforma eleitoral: direito ao voto concedido aos analfabetos e aos militares de baixa patente;
    * Reforma educacional: 15% da renda produzida no Brasil seria revertida à educação. Novos programas de combate ao analfabetismo e a proibição das escolas particulares;
     * Reforma econômica: controle do lucro enviado ao exterior. O lucro das empresas deveria ser reinvestido do Brasil.

É claro que essas Reformas de Base desagradaram os latifundiários e empresas estrangeiras que investiam no Brasil. João Goulart pretendia salvar o país da recessão econômica que assolava o país há alguns anos. Mas os conservadores viam nisso um único perigo: o comunismo. Para eles, João Goulart era um comunista que mergulharia o país num regime semelhante ao da URSS.
O presidente anunciou as Reformas de Base num comício em 13 de março de 1964. Em 19 de março, os setores conservadores organizaram uma manifestação intitulada Marcha da Família com Deus pela Liberdade, a afim de afastar o "mal comunista". 
Em 31 de março, o general Olímpio Mourão Filho desencadeou tropas de Juiz de Fora-MG até o Rio de Janeiro-RJ. O presidente seguiu para o Rio Grande do Sul, e evitou tomar uma decisão brusca para não haver derramamento de sangue. Jango exila-se no Uruguai e o Congresso declara o cargo de presidente vago. Ranieri Mazzilli, pela 2ª vez, toma posse como presidente de modo urgente, até o Congresso Nacional eleger o general Humberto de Alencar Castelo Branco como presidente da República. Estava instaurada a ditadura militar no Brasil.
Jornal O Globo, de 3 de abril de 1964, com a notícia do caos que se seguiu após Jango deixar a presidência da República

8 comentários:

  1. Parabéns pelo blog Nahor, adorei o conteúdo!!

    ResponderExcluir
  2. Adorei o conteúdo... Concordo com as Reformar de Base, movimentando os principais setores do Brasil.. Parabéns!!

    ResponderExcluir
  3. Gostei muito do blog, mas não entendo uma coisa...
    porque o governo sempre tenta fazer a reforma agrária, mas nunca deu certo e que na minha opinião nunca vai dar certo?
    parabéns

    ResponderExcluir
  4. Lucca barbieri 9°A : realmemte nossa população ainda sofre mt com os rastros deixados por Esse sistema totalitário que foi vivenciado na década de 60. Ótimo conteúdo Nahor

    ResponderExcluir
  5. Hannah 9ºA- gostei muito do conteúdo,e me interessei muito pelo fato de haver tanta censura naquela epoca e acabei revoltada ao perceber que estes TIRANOS morreram perdoados, ao lado de gente inocente.

    ResponderExcluir
  6. Ñ sei qual dos dois que é pra comentar,então vou comentar nos dois

    Quanto ao negócio do nome de Floripa é só dizer que é em homenagem ao presidente floriano peixoto

    Victor Hugo 9ºB

    esquece o negócio de 2 comentarios, só vou comentar aqui mesmo

    ResponderExcluir
  7. Gostei muito do conteúdo do seu blog. Achei interessante o fato das Reformas de Base, iniciadas por João Goulart, terem base no nome por abrangerem as necessidades básicas do povo.
    Algumas pessoas não gostaram da atitude tomada pelo presidente, pois seriam afetadas economicamente...
    O único perigo que os conservadores viam nisso era o comunismo, e pra eles o presidente levaria o Brasil para um regime parecido com o da URSS..
    O blog é muito interessante, parabéns!!
    Ana Luíza Muniz

    ResponderExcluir
  8. Nathalia Pamplona Vicente11 de junho de 2013 16:56

    Um ótimo texto critico parabéns! Exelente!! vou até imprimir uma copia pra mim! permite? ``filho do gelo``

    ResponderExcluir